domingo, 19 de março de 2017

ATOR MÁRIO GOMES VAI À TV E FALA SOBRE VENDA DE LANCHES NA PRAIA

Texto e fotos (reproduzidas de imagens de TV): Repórter Paulo Maciel, para os sites facebook.com/paulomacieldaradio e reporterpaulomaciel.blogspot.com (19-3-2017)
O ator Mário Gomes, de 65 anos, foi, recentemente,  tema de matéria do jornal "Extra", do Rio de Janeiro/RJ, que o fotografou vendendo hambúrgueres, em carrinho de lanches, numa praia carioca. A notícia repercutiu e o artista foi parar no programa "Domingo Show", de Geraldo Luís, da TV Record.

O artista classificou o ator como "biscateiro" e achou normal estar vendendo hambúrguer, sendo apoiado pela atriz e amiga Narjara Tureta, que também já apareceu vendendo água de coco nas ruas cariocas. No programa, o ator contou que saiu da TV Globo porque o seu último personagem em novela não tinha um bom desenvolvimento na trama, e ele passou a ser descartado para algumas produções importantes.
Mário Gomes, durante décadas atuou em novelas de sucesso da Globo, e trabalhou ao lado de grandes nomes da dramaturgia, como Tarcísio Meira, Glória Menezes, Tony Ramos, Beth Faria, Suzana Vieira, Lucélia Santos, Fernanda Montenegro, Vera Fischer, Nuno Leal Maia, Maitê Proença, entre outros. "Vereda Tropical" e "Gabriela", foram apenas duas das mais significativas novelas que ele citou como importantes para sua carreira. Mário Gomes foi considerado um "galã", no auge da carreira televisiva, sendo capa de diversas revistas importantes do país anos a fio. Namorou belas mulheres.
"Queria encontrar o caminho da sexualidade, felicidade... necessitava da relação... ela era uma mulher experiente, madura", explicou ele, para o relacionamento que teve com a atriz Beth Faria. O ator foi também vítima de um escândalo e calúnia na imprensa, no auge do sucesso, envolvendo sua vida pessoal, mais especificamente notícias ligadas à sua sexualidade e à ligação do seu pai com o tráfico de drogas.  A morte prematura do pai, inclusive, o emociona e o faz chorar até hoje. Ele admite ter  herdado resquícios paternos de claustrofobia e  Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Chegou a usar - "com parcimônia" - entorpecentes na juventude, influenciado por amigos da sociedade, mas depois livrou-se desse mal e não chegou a ter dependência química.
"A droga me causava angústia, eu ficava apavorado", disse. O ator, apesar de ser flagrado vendendo lanches na praia, está bem financeiramente, pois mora com a mulher e filhos,  numa mansão de frente para o mar, no Rio de Janeiro, com uma bela vista panorâmica da natureza. Nela há piscina, jardins, quartos amplos, escritórios, atelier de pintura, oficina de marcenaria, e, inclusive, um andar inferior totalmente destinado a locação. Aliás, o ator executa alguns serviços em casa, como o de marceneiro, para passar o tempo e também para "economizar". Uma das peças de sua casa - uma cama em alvenaria e madeira - foi confeccionada por ele, além do próprio carrinho de lanches. Sobre o tempo de juventude e do sucesso como ator-galã, revelou que sofreu muita pressão, e foi alvo de inveja, maldade, armação. O episódio - publicado amplamente pela imprensa - de internação para retirada de uma cenoura do corpo e as notícias sobre o envolvimento do pai com narcotráfico foram considerados uma "armação". Segundo Mário Gomes, os autores da armadilha queriam que ele reagisse violentamente, que fosse a uma delegacia exigir justiça, com atitudes de revolta, e acabasse sendo preso, "para nunca mais sair".
Atualmente, o ator é mais racional que naquela época, demonstra muita serenidade, e até presta ajuda ao Retiro dos Artistas (conjunto de casas de repouso, no Rio, para artistas aposentados, como atores, atrizes, cenógrafos, contra-regras, maquiadores, camareiros,...). No local, Mário Gomes deu a idéia do cultivo de hortas, para a movimentação dos idosos, além da obtenção de alimentos de primeira qualidade. Ele, quando pode, vai ao retiro cuidar das plantas, como chicória, mostarda, cebolinha, e também visitar os colegas de profissão que lá residem, como uma das integrantes do grupo "Frenéticas" (que fez muito sucesso na década de 1980), um músico que trabalhou na banda do cantor e compositor Benito de Paula e a veterana cantora Helena de Lima.  O "Retiro" conta hoje com 49 residentes em casas individuais, onde há atendimento médico, odontológico, sala de cinema, de teatro e alimentação. A entidade depende de ajuda pública e privada para se manter. Mário Gomes chegou a agradecer publicamente, ao fim da reportagem do programa de TV, a Prefeitura do Rio de Janeiro peloa ajuda que presta às casas de repouso dos artistas.

Nenhum comentário: